Nem Mini nem Master

Com o passar do tempo, tendências foram sendo criadas para suprir as necessidades dos noivos, assim como aconteceu com o Mini Wedding que ganhou força de uns anos para cá para atender os casais que não queria ou não podiam oferecem um mega festa de casamento.

Hoje em dia vejo uma tendência surgindo, ainda sem um nome específico, talvez um “Médio Wedding” ou “Casamento Intimo” a verdade é que se trata de um casamento na medida certa!

Vejo casais em duvida quando ao Mini Wedding por ser muito restrito mas também sem querer um casamento grande e tradicional. E por isso acho que um casamento que pode ser moldado na medida dos desejos dos noivos é o ideal.

As características são muito parecidas com as do Mini, porém com um numero maior de convidados. Esses casamentos valorizam a intimidade, os detalhes, e geralmente são realizados em restaurantes, clubes, fazendas ou salões com toque mais intimo.

Como em todo tipo de casamento a lista de convidados é um momento complicado e crucial, sem o numero de convidados você não consegue orçar mais nada! O ideal para esse tipo de casamento é de 100 a 250 convidados, permanecendo assim o conceito de simplicidade, intimidade e leveza.

1 2 3 4 5 6 7 8 9

A decoração segue os mesmos parâmetros de um Mini Wedding, fresca, leve, romântica e aconchegante, sem luxos extremos ou exageros. O ideal é uma festa charmosa que possibilita que os noivos curtam seus convidados e o grande dia sem se preocupar em atender as tradições ou imposições da sociedade.

A curiosidade de muitos é sobre o orçamento, quanto custa um casamento assim? Eu diria que entre uns 40 a 80 mil, levando em consideração as escolhas de cada casal. Como todo casamento é importante saber focar as decisões de contratação e gasto dentro do perfil, do sonho e do orçamento planejado, com bom senso, adequação e criatividade!

Bodas de Madeira

Em homenagem os cinco anos de casamento de Gisele Bundchen e Tom Brady, vamos falar sobre as Bodas de Madeira!

O QUE REPRESENTA A MADEIRA?

A madeira tem uma simbologia muito forte em várias culturas. Ainda mais pensando nela como árvore, afinal florestas são consideradas reservatórios de vida, força e sabedoria!

Há anos que a madeira faz parte de nosso cotidiano, especialmente em nossas casas, móveis, etc. Ela simboliza aconchego, calor, energia sexual e criatividade. Além de tudo a madeira é um de nossos recursos naturais mais preciosos. Ela representa força, solidez e talvez seja por isso que o quinto aniversário de casamento seja um marco na vida de um casal. Afinal, durante esse período, a relação entre marido e mulher é, sem dúvida, mas sólida e forte!

gi

Hashtag no Casamento

Já falamos sobre esse tema aqui no blog mas a algum tempo atrás fui procurada pela Carol Maggi do UOL Mulher Casamento para falar sobre minha opinião e experiência sobre as Hashtags o resultado foi uma matéria bem interessante que está no ar no site da UOL! Abaixo o trecho da minha entrevista e o li k para que vocês possam ler a matéria!

Diferentes olhares

Além de se atualizarem de tudo que aconteceu nos bastidores, os noivos ainda contarão com o olhar particular de cada convidado que postar uma foto do evento. “Os noivos vão ver o casamento pelo olhar de quem fez parte do evento. E até quem não pôde ir, por algum motivo, poderá acompanhar o casamento em tempo real, através do celular ou internet”, explica a publicitária e autora do blog Bem Casadas, Clarice Porto, que se casou em maio de 2012.

“Na época do meu casamento, o Instagram e as hashtags não eram essa febre toda e pensamos em uma palavra-chave na hora do evento mesmo. Mas, no fim, todos usaram e deu para ter acesso a fotos bem legais”, lembra. Na opinião de Clarice, quem quiser divulgar a hashtag antes, pode colocá-la no “save the date” ou no convite de casamento; em placas na entrada do evento ou em cartões personalizados, que são entregues para os convidados ou disponibilizados nas mesas do salão.”

UOL casamento – Bem Casadas

UOL - BEM CASADAS

Carol + Cris – Cerimônia e Festa

Pra finalizar esse casamento lindo, as fotos da cerimônia emocionante e da festa animadíssa!!!!

14 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20. 20 21 22 23 24 25 26 27 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44

FICHA TÉCNICA:

Festa: Museu das Minas e Metais
Bebidas: Menimport
Bem casados: Adriana Bastos
Bolo: Dilene
Buffet: Mariangela
Coberturas e fechamentos: Classe A
Decoração: Wish – Decoração com Flores
DJ: Maurício Lobato – Best Produtora
Doces: Mariangela
Forminhas: Simone Gosling
Foto: Marcelo Quintanilha
Iluminação cênica: ZBM
Limpeza: ZCM
Manobra e segurança: Company
Móveis: Commemorare
Música da cerimônia: Música de Bom Gosto
Roupa de mesa: Brindari
Sandálias: Supermix
Som e iluminação: ZBM
Vídeo: Wagner Couto
Cerimonial: Sergio Mendes

Carol + Cris

Essa não é uma historia de uma noiva e um noivo apenas… é a historia de uma amiga especial, de um amigo querido, de uma família linda e de um grande amor!

Sabe aquele casal que durante o namoro você já sabe que vai dar em casamento?! Então! Fazer parte desse casamento foi uma grande emoção para mim, foi uma realização! Esse casal merece toda felicidade do mundo! E como, independente disso tudo, foi um casamento deslumbrante do inicio ao fim não tenho como não compartilhar aqui!

Tentei, mas não consegui reduzir muito as fotos, então vou mostrar aos poucos, making off, decoração, cerimonia e festa!

Vamos começar pelo Making!

1 2 3. 3 4 5 6 7. 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 19 20 21 22. 22 23 24 25 26 27 28 29

Foto: Marcelo Quintanilha 

Beleza (cabelo e maquiagem): Acrisio – StudioA

Vestido: Graça Trindade

Tiara: Avivar

Joias: Pessoais

Making of editorial Revista Yes Wedding

Recebi  um vídeo lindo do making of da capa da Revista Yes Wedding, e resolvi dividir com vocês! Tem muitos modelos de vestido de grifes conceituadas, acessórios, um cenário dramático e poético que pode servir de inspiração para seu ensaio de noiva!

Para o editorial de capa a empresária Fernanda Suplicy convidou a modelo Yasmin Brunet – que vivenciou recentemente uma cerimônia de casamento super intimista e chique em Ibiza.

FICHA TÉCNICA

Modelo: Yasmim Brunet

Conceito e direção: Agência Blush

Beleza: Jayme Vasconcellos

Stylist: Fabrício Miranda

Foto: Maurício Nahas

Vídeo: 4GP videojornalismo

Vestidos: Monique Lhuiller para WhiteHall, Emannuelle Junqueira, Marie Toscano,  Trinitá, Paula Zaragueta, Alba Martins, Maison Kas e Fafi Vasconcellos.

Coroa de espinha: Walério Araújo

Feliz Dia dos Namorados!

“E o amor?, você me pergunta. O amor, ah, sei lá. O amor nem dá pra definir direito. Acho que é um desejo de abraçar forte o outro, com tudo o que ele traz: passado, sonhos, projetos, manias, defeitos, cheiros, gostos. Amor é querer pensar no que vem depois, ficar sonhando com essa coisa que a gente chama de futuro, vida a dois. Acho que amor é não saber direito o que ele é, mas sentir tudo o que ele traz. É você pensar em desistir e desistir de ter pensado em desistir ao olhar pra cara da pessoa, ao sentir a paz que só aquela presença traz. É nos melhores e piores momentos da sua vida pensar preciso-contar-isso-pra-ele. É não querer mais ninguém pra dividir as contas e somar os sonhos. É querer proteger o outro de qualquer mal. É ter vontade de dormir abraçado e acordar junto. É sentir que vale a pena, porque o amor não é só festa, ele também é enterro. Precisamos enterrar nosso orgulho, prepotência, ciúme, egoísmo, nossas falhas, desajustes, nosso descompasso. O amor não é sempre entendimento, mas a busca dele. Acho que o amor não é o caminho mais fácil, pois mais fácil seria dizer a-gente-não-se-entende-a-gente-não-combina-tchau-tchau. O amor é uma tentativa eterna. E se você topar entrar nessa saiba que o amor encontrou você. Seja gentil, convide-o para entrar.”

(Clarissa Corrêa)

IMG_9724

Fashion Casar

O Fashion Casar apresentou desfiles de conceituadas marcas e essa foi grande novidade do Casamoda Noivas 2013. Foi o momento mais esperado pelas noivas que ainda não têm seu vestido e procuram inspiração e orientação para sua escolha.

Vamos lá!

O primeiro desfile foi do estilista Lucas Anderi. Sob sua marca “Lucca by Lucas Anderi”, o estilista apresentou a nova coleção de vestidos de noiva para 2013 intitulada “Dance Floor”. Com um total de 22 looks, desfilaram modelos incríveis, para todos os gostos e para diferentes tipos de cerimônias. Desde curtos para casamentos civil, à saias e blusas elegantes para casamentos menores e discretos, como também vestidos cheios de volume para grandes e elaborados eventos.

a b c d e f (2)  g h i

A WhiteHall apresentou um desfile com sua linha própria de vestidos de noiva e as novidades das marcas que representa no Brasil – Oscar de la Renta, Vera Wang e Monique Lhuillier.

j k l m

Fause Haten apresentou uma coleção de noivas apostando em tons claros de lilás, azul, amarelo e rosa. Vestidos com saias volumosas, peplum, muito tule, transparência e texturas.

n o p q r s t

A estilista Lethicia Bronstein, que apresentou 19 looks de noivas e 1 uma dama no Fashion Casar. A coleção que faz sucesso entre noivas bacanas é atemporal e flutua entre o vintage e o romântico. Lethicia gosta de criar vestidos únicos com muita renda, fluidez e leveza para a noiva poder aproveitar confortável e linda a festa toda.

e

q r u v w (2) w x y (2) y

Os homens também tiveram vez no Fashion Casar. Quem encerrou os desfiles desta temporada foi o Camargo Alfaiataria, mostrando que nada como um bom terno sob medida e com um tecido nobre.

1 2 3 4 5 6

 

Fotos: Reprodução – Constance Zahn

Evento Casar 2013

Aconteceu a 12ª edição do Casar, evento produzido pelas empresárias Vera Simão e Camila Nunes levou para a Casa Petra, em Moema, bairro nobre de São Paulo, as últimas novidades para casamentos.

Além da feira, o Shopping JK Iguatemi sediou o Fashion CASAR, uma série de desfiles assinados por Lethicia Bronstein, Fause Haten e WhiteHall, com Oscar de la Renta, Munique Lhuillier e Vera Wang. Já os noivos puderam conferir peças assinadas pela grife Camargo Alfaiataria.

Essa semana vamos postar os detalhes dos desfiles, hoje separamos os grandes destaques da feira! Vamos lá:

DOCES:

 A The King Cake, atelier do cake designer Nelson Pantano, apresenta verdadeiras obras de arte feitas de açúcar. E Inovou na decoração do bolo com flores comestíveis. As flores são desenvolvidas com uma técnica exclusiva e parecem tão reais a ponto de ser necessário informar que são feitas de açúcar.

 9 10 14  e

 

O Le Malu, ateliê de bolos e doces finos, desenvolveu um bolo superdiferente feito de cascas de chocolate. Além de lindo, é delicioso!

15

 

Já para os doces de casamento os destaques foram:

Docinho em formato de bolsas da Chanel ou Hermès, da Louzieh Doces Finos.

f

 

Bolinho individual feito de manteiga e recheado de doce de leite,  Louzieh Doces Finos.

2

 

Compotas de sabores variados: romeu e julieta, abóbora com coco, floresta negra, casadinho e mix de frutas, da Louzieh Doces Finos.

b

 

Os pirulitos de chocolate para os convidados se divertirem na pista, da Mélie Douces.

5

 

Bem-casado decorado com fita de veludo foi o lançamento da Conceição Bem Casados.

c

 

Forminha de doces em papel cortado a laser, da Piperina.

6

 

Bolo na xícara do Atelier Mariza Doces.

8

 

CRIATIVIDADE

Uma das novidades é a Finger Tree, que deve substituir o livro de presenças. Uma árvore estilizada é preenchida com as digitais dos convidados presentes. Depois de completa pode ser usada como enfeite na casa dos noivos.

Outra opção bacana são as Plaquinhas Divertidas. Os convidados escolhem as que possuem as frases mais inusitadas e registram sua participação na festa de casamento. Ambas da A S-Cards.

 

11

 

Convite de madeira e envelope de palha, da Santa Festa Convite. Convite de quebra-cabeça da Casamento.art.br.

4

 

Buquê de origami da Adriana Suzuki Origamis Especiais.

7

 

ACESSÓRIOS:

A boutique La Spinella desenvolve joias exclusivas como para as noivas. A composição das tiaras e dos pentes e brincos varia de acordo com o modelo do vestido, o que deixa o look ainda mais bonito e personalizado. Todas as peças ficam disponíveis para venda ou aluguel.

12

 

Enfeite para os cabelos da Flor de Cór, feito com flores preservadas. As rosas são importadas da Colômbia e podem durar até dois anos. Se guardadas em uma redoma, chegam a durar 15 anos.

a

 

COMIDINHAS

Já imaginou aquela receitinha famosa da vovó no seu cardápio de casamento? Comidinhas caseiras e servidas em mini porções e de forma inovadora foi o grande destaque dos Buffets.17

16 13

 

DRINQUES:

Cardápio variado de drinques feitos com frutas exóticas, frutas exóticas como jabuticaba, kinzu minilaranja e pitaia.

19

 

Imagina um drinque feito com café? Esta é a proposta da Cocktelaria Bartenders: oferecer aos convidados drinques deliciosos feitos com café Nespresso.

18

 

LEMBRANCINHAS

Lembrancinha fotográfica da Fábrika de Eventos. A empresa leva funcionários e revela as imagens na hora no evento.

Sem título

 

Chinelos para os convidados da loja DNA do Pé. Os noivos contam um pouco de sua história e os designers criam estampas para o chinelo. O diferencial da marca é que os nomes dos noivos não ficam tão em destaque, assim os convidados podem usar o chinelo em outras ocasiões.

3

 

ATRAÇÕES:

- Carrinho de pipoca da Cadô Presentes.

O polêmico ECAD

O ECAD (Escritório Central de Arredação e Distribuição) é uma entidade que representa músicos e compositores. O que ele tem a ver com casamentos? O ECAD considera que estes músicos e compositores precisam ter direito sobre músicas tocadas em festas, já que são eventos para um grande número de pessoas. Quando você for locar seu salão de festas será informado sobre o valor da taxa que deverá pagar. Quanto maior o salão e maior o número de convidados, maior a taxa. O que acontece se você não pagar? Alguns clubes, para começar, nem permitem que a festa ocorra sem este pagamento. O pior que pode acontecer é sua comemoração ser invadida por fiscais do escritório que, sabendo que você não pagou, mandam parar com a música.

Portanto, o Ecad enfrentou mais uma polemica no mês passado quando foi condenado, juntamente com mais seis entidades de defesa dos direitos autorais, por formação de cartel e abuso da posição dominante. Segundo o jornal O Globo, o ECAD e seus associados não apenas se organizaram para tabelar valores, mas criaram barreiras à entrada de novas associações na entidade.

Para nós noivas e organizadoras de casamento, pagamento do ECAD sempre foi polêmico. Muita gente acha injusto pagar uma taxa que, segundo relatos que aparecem na mídia o tempo todo, não sabe-se muito bem para onde vai. Muita gente já pensou em brigar judicialmente para se livrar do pagamento, mas os ganhos de causa iam todos para o ECAD.

Até que no ano passado, tivemos surpresa. O juiz Paulo Roberto Jangutta, do 7º Juizado Especial Cível do Rio condenou o ECAD a indenizar em R$5 mil uma noiva de quem havia cobrado R$1.875 de direitos autorais para poder executar musicas no casamento, além de devolver a quantia paga pelo casal.Para o magistrado, “casamentos são festas íntimas e familiares, logo, não há justificativa para a cobrança”.

Um Ano depois disso ainda temos uma dúvida: Afinal, temos que pagar o ECAD? Podemos ter o valor ressarcido? Especialistas falam que Ainda é cedo para dizer até onde irá repercutir a decisão judicial que derrotou o ECAD no Rio de Janeiro, mandando devolver aos noivos o que pagaram a título de direitos autorais. Até então, em todos os níveis, a Justiça tem assumido posição inversa, reconhecendo que nas festas de casamento em clubes, salões alugados e outros locais, por haver execução pública de música, deve ser pago algum valor por direitos autorais, ainda que a festa não tenha fins lucrativos. De qualquer forma, outros juízes podem pensar do mesmo jeito e decisões como a do Rio multiplicarem-se. Algo que era indiscutível e consolidado está novamente em debate.”

Se, contudo, o pagamento do valor cobrado ainda não tiver sido realizado, há a possibilidade de ajuizar Ação Declaratória de Inexistência de Débito, de modo a se tentar afastar a exigência desse pagamento indevido (o que, em regra, pode ser feito perante um Juizado Especial, sem a necessidade de contratação de advogado ou pagamento de custas).

Entenda o caso:

Leiam a seguir alguns trechos extraídos da notícia mencionada, que conta o que aconteceu com esse casal:

“Ecad é condenado a ressarcir noiva por cobrança em casamento
(…)
Ao assinar o contrato de locação, a noiva foi informada de que deveria pagar uma taxa referente aos direitos autorais das músicas que viriam a ser trilha sonora do enlace. Além do vestido, bufê e todas as altas despesas geradas por uma festa deste porte, Kadja e o marido desembolsaram mais R$ 1.875, destinados ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição, o Ecad. Passadas as comemorações, os dois decidiram entrar com um processo contra a cobrança do Ecad e (…) o juiz Paulo Roberto Jangutta, do 7º Juizado Especial Cível do Rio, Condenou o Ecad a indenizar Kadja e Renato em R$ 5 mil, além de devolver a quantia paga pelo casal.c

Para o magistrado, o casamento é, por definição, ‘uma festa íntima, na qual inexiste intenção lucrativa, seja de forma direta ou indireta. Festas de casamento podem ser realizadas com fim religioso, como celebração de um ritual civil ou como mera comemoração de uma realização pessoal, porém, não lhes é inerente qualquer aspecto empresarial, ainda que se trate de um evento de alta produção’, escreveu Jangutta em sua sentença, abrindo precedentes para que outros cônjuges também questionem o pagamento judicialmente. A partir de agora, o Ecad tem dez dias para pagar o valor devido ou mesmo recorrer da sentença. Especialista em Direito marítimo, Kadja conta que em nenhum momento durante os preparativos para o casamento concordou com a cobrança.
- Quando soube da existência desta taxa, me senti lesada. Até pela forma como a cobrança é feita: me enviaram um formulário por e-mail, preenchi, mandei de volta para o Ecad com uma cópia do contrato do aluguel do espaço e recebi um boleto de pagamento.Não tive a oportunidade de negociar e nem mesmo de entender a que aqueles R$ 1.875 se referiam. – contou a advogada ao GLOBO, por telefone.
Relatos de festas que teriam sido interrompidas por decisão do Ecad intimidaram os noivos, que decidiram acatar a decisão.
- Quando você organiza uma festa de casamento, você tem mil coisas para decidir e resolver, brigar na Justiça não é uma opção. Só recebi o boleto de pagamento numa sexta-feira à noite, na véspera do casamento e me desesperei, porque já não tinha como pagar àquela hora. Fiz minha mãe subir ao altar com um o talão de cheques na bolsa, estava tudo pronto para o caso de os fiscais do Ecad aparecerem. Felizmente isso não aconteceu, mas na volta da lua de mel precisei entrar em contato com eles novamente para pedir uma segunda via do boleto e então efetuar o pagamento.Se eu não pagasse, havia o risco de eles cobrarem da Marinha, responsável pela Ilha Fiscal.
Resolvida a questão, Kadja enfim decidiu entrar com um processo para reaver o dinheiro junto ao Ecad. Segundo a advogada, que representou a si mesma no processo, o valor cobrado foi calculado não com base nas horas ou na quantidade de músicas tocadas, mas em cima de uma porcentagem do valor pago pelo aluguel do salão.
- Se eu fizesse minha festa no playground do meu prédio ninguém iria me importunar, pois a lei discrimina que festas realizadas em domicílio ou mesmo em igrejas são familiares, mas o Ecad encontrou uma brecha para cobrar a taxa de casamentos realizados em outros locais. Ou seja, porque juntei dinheiro a vida toda para fazer a festa dos meus sonhos, eu teria que pagar um valor extorsivo e sem fundamento. Nem o DJ da festa recebeu cachê, foi um amigo que nos fez a trilha como um presente, os impostos acabaram saindo ainda mais caros.
Com a contestação da cobrança, os noivos esperam servir de exemplo para mais casais ou mesmo realizadores de eventos sem fins lucrativos e que, portanto, não estão ganhando com a execução de músicas durante o evento. Procurado pela reportagem de O GLOBO, o Ecad ainda não se pronunciou.”

Vale dizer que, em maio de 2010, o Tribunal de Justiça de São Paulo já havia se debruçado sobre essa questão ao analisar recurso de apelação interposto pelo Ecad, no qual foi pedida a modificação de sentença desfavorável, que julgou procedente ação declaratória de inexigibilidade de cobrança. Nesse recurso, o Escritório Central afirmou que a Lei de Direitos Autorais (Lei n. 9.610/98 – art. 46) prevê um rol taxativo de exceções que não são consideradas execuções públicas, e que, naquele caso, houve utilização de música por DJ em local de frequência coletiva e que a inexistência de fins lucrativos do evento não dispensa a obrigatoriedade do pagamento de direitos autorais.

Todavia, apesar dos argumentos apresentados pelo Ecad, o desembargador relator da decisão²  proferida foi categórico ao afirmar que: “o cerne da questão se restringe a saber se houve ou não execução pública de músicas de modo a obrigar o apelado (nesse caso o autor da ação) ao pagamento de direitos autorais. Como bem salientou o d. magistrado, ‘a interpretação pretendida pelo ECAD de que teria havido a execução pública das músicas contraria o bom senso e beira as raias do abuso do direito a ele conferido em determinadas situações, dentre as quais não se enquadra o caso em tela.’ No caso, o clube é uma espécie de prolongamento da casa do autor, não se podendo considerar local público, nem sendo a execução coletiva.”

Notem que ao decidir sobre esses casos, os tribunais têm entendido, assim como ocorre nas decisões que autorizam o fumo nas festas de casamento, que o local onde o evento é realizado seria a extensão da casa dos noivos e não pode ser considerado local público.

Enfim, a boa notícia é que, em meio a tantos gastos, o casal pode ter uma despesa a menos: taxa do Ecad, nem pensar!

  • Categorias